Alimente sua vida daquilo que faz bem

19:27



Estava eu conversando com um amigo dia desses e começamos a discutir sobre uma série que eu gosto muito. A pauta da discussão era, na verdade, saber o que aquela série acrescentava a minha vida e minha experiência enquanto pessoa. Sentimentos, crescimento pessoal, sabe? Pois é.

Conversa finalizada, mas aquele assunto ficou na minha cabeça dias e dias, até que eu li um livro cristão bem legal chamado Nos bastidores da mídia (inclusive indico). Depois de ler aquele livro a minha cabeça teve tipo um "booooom" de realidade jogada na cara. Como o nome já diz, o assunto geral tratado são as mídias, mais especificamente o que estaria por trás delas (bastidores...).
Claro, como eu disse, é um livro cristão, mas isso não significa que você, caso não seja cristão, não possa extrair essa mesma lição que eu extraí dele. Enfim, juntando o que li, mais o que discuti com esse amigo, notei que a gente passa tempo demais vendo (ou fazendo, ouvindo) coisas que não são nada construtivas.

Sabe quando você tá na bad e escuta uma música que lhe deixa ainda mais pra baixo? Então, é tipo isso. Veja bem, você está mal e ainda procura ficar pior. (você, eu, nós todos) Terminou um relacionamento e fica vendo filme de romance, quem nunca né? Mas qual o propósito disso?
Essas coisas alimentam nosso ser de maneira negativa, sem um bom propósito, por assim dizer. Muitas vezes quando eu estou estressada, tenho o péssimo hábito de colocar uma música muito animada, muito barulhenta que, na verdade, não vai me acalmar, só vai me deixar mais estressada. Isso é meu caso, claro.

Mas eu quis compartilhar essa reflexão aqui com vocês pra que vocês também possam se autoavaliar diariamente. Assim, aos pouquinhos mesmo vamos ficando mais conscientes daquilo que estamos alimentando dentro de si. Eu estou buscando praticar isso no dia a dia e tem rendido bons resultados na minha maneira de ser (yey!), então espero que também dê resultados com vocês.



Se você tem algo a acrescentar, por favor, fique à vontade pra comentar aqui em baixo! 


You Might Also Like

9 comentários

  1. ótima reflexão e super verdade!
    Sou muito do tipo que quando ta triste vai assistir um filme pior ainda pra chorar ainda mais... E é bem como tu falou, temos que nos cercar daquilo que nos faz bem, que nos deixa pra cima, não que nos põe ainda mais pra baixo
    ótimo texto! ♥
    Beeijos!

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha parado pra pensar nisso, realmente quando estou na bed coloca uma musica que me deixa pior, mas é porque sempre achei que tipo "estou na bed, não tem porque ouvir musica feliz" e fazendo a reflexão na verdade eu devo ouvir musica que me deixa feliz por eu estar na bed, nossa é muito simples.

    Vou seguir a sua reflexão, porque realmente temos que nos cercar do que nos faz bem, até para atrair mais coisas boas e assim o universo colabora com a gente.

    Amei!

    Beijos Josi.
    http://singularidades.blog.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Post bem diferente e bacana, gostei mesmo!!
    Muito bem escrito!
    Conversas com bons amigos <3 que delicia sair refletindo!
    Nunca ouvi falar desse livro, mas sempre leio tudo sobre mídias alternativas, paradigmas e fenômenos sociais (sou apaixonada por sociologia e o quanto vivemos num mundo bem louco)
    Vou por esse livro na minha meta de leitura (quase nunca leio livros cristãos mas gostei de você ter falado que da pra aprender muito com ele)

    Pensamentos são tudo, e realmente precisamos parar de nos afundar em musica triste e filmes tristes quando estamos na bad por exemplo rsrs
    Tive depressao e sei o quanto é importante a gente cuidar da saude mental!

    Beijosss e sucesso, seguindo o blog! =)

    ResponderExcluir
  4. Incrível como nós somos nossos piores inimigos... Ao invés de tentarmos superar as coisas, acabamos nos afundando mais... Achei uma ótima reflexão e temos q exercitar pra superarmos e aproveitarmos melhor nossos dias...

    ResponderExcluir
  5. Gostei desse post! Eu defendo outro ponto de vista - muito provavelmente, pelas minhas crenças bastante diferentes das cristãs - de que não devemos esconder e encobrir as coisas e sentimentos "ruins", sabe? A gente tem que sentir eles também e as vezes uma música triste, um filme romântico e etc nesses momentos ajuda. Mas isso não significa também que eu não queira alimentar minha vida com aquilo que me faz bem!
    Beijos!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei da tua reflexão, mas admito que não concordo por completo, porque penso que a dor precisa, sim, ser sentida e demonstrada. Isso nos impede de guardar tudo para si e acumular uma bola de neve de coisas ruins dentro da gente. Temos que extravasar aquilo que mais está no coração, para daí sim surgir novas cores, novas oportunidades ♥ Mas alimentar nossos dias com cargas positivas certamente é a melhor coisa que existe.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com tudo que você disse, mas às vezes nós ficamos tão cego que insistimos em fazer coisas que não agregam em nada na nossa vida. As vezes a situação nem é tão difícil assim, mas nós acabamos dificultando.
    Adorei muito o seu post, é bom ler coisas assim pra dar uma acordada pra vida. <3
    Beijos
    www.sandyhelena.com.br

    ResponderExcluir
  8. Amei a sua reflexão! Apesar de pequena, foi objetiva e super direta. (Gosto assim)
    Inclusive me lembrou de quando terminei meu relacionamento (que na época era quase de 2 anos e meio), e eu me joguei nos livros. Passei a ficar até mais tarde na faculdade estudando e nas "horas livres" (que acabaram por ficar livres por causa do fim do namoro), eu estudava também, fiz o possível pra não ficar na "bad". Me serviu MUITO de experiencia!!!
    Parabéns pelo post <3

    ResponderExcluir
  9. Oi lindona, tudo bem? Eu não li o livro que mencionou, mas concordo plenamente com ele... E claro, com a opinião que você mostrou no texto. Volta e meia gosto de me afastar de todas as redes sociais e ler um bom livro, ficar com a família, ligar para alguém que não falo há muito tempo, ajeitar a minha casa... Em outras palavras, fazer coisas que realmente são construtivas para a minha vida. Em tempos como o nosso, o menos é mais. Beijos

    ResponderExcluir