Não troco seguidores

13:49


Hoje quero contar pra vocês a história de uma blogosfera amiga lá nos primeiros anos, quando ainda era uma criançinha. Desde o início da era dos Blogs eu estive por aqui. Esse universo era ainda desconhecido e direcionado àqueles que se sentiam livres virtualmente, quando nas suas vidas, no geral, não acontecia isso.


   Como uma rota de fuga, nós descobrimos várias outras pessoas que se sentiam dessa mesma forma e, com o tempo, a blogosfera se tornou um lugar completamente amigável. Nós trocávamos comentários porque éramos amigos, porque gostávamos do conteúdo um do outro e interagíamos acrescentando mais do que subtraindo.
   Não era moda ser blogueiro. Pelo contrário. Nós éramos os estranhos que tinham dificuldade de lidar com outras pessoas, que passavam por problemas e preferiam se fechar, que deixavam de sair de casa por vergonha, muitas vezes.
   Desse modo, o conteúdo normalmente era repleto do nosso dia a dia, dos nossos pensamentos, textos pessoais e, o que eu mais gostava: do que nós ensinávamos umas as outras. Não era tão simples assim mexer no layout do blog como é hoje, então algumas de nós que sabíamos/trabalhávamos com isso, postavam tutoriais, deixavam freebies nos nosso Blogs.

   Com o tempo surgiram as mudanças, surgiu o youtube. Algumas blogueiras daquela época ficaram famosas, algumas mudaram seu estilo, esqueceram sua origem. Com a fama de uns, ser blogueiro virou moda e todo mundo teve a ideia de rumar por esse caminho.
Foi aí que surgiu a troca de seguidores e de comentários: "Segue o meu que eu sigo o teu, ta?". Não bastasse essa loucura, alguns ainda trapaceiam deixando de seguir assim que o outro o segue. Gente, como assim?!
   Onde ficou a amizade, o seguir por gostar do conteúdo? E que conteúdo? Se você, assim como eu, navegar por algum tempo entre blogs verá uma lista enorme com o MESMO CONTEÚDO. Coisas superficiais, cujo autor não teve sequer a preocupação de pesquisar para expor. Textos e temas repetidos; por vezes escritos da mesma forma, com as mesmas imagens. E a amizade, bem, hoje em dia com tanta tecnologia e a síndrome do post por segundo -muito comum no facebook onde as pessoas só faltam postar foto no banheiro!- acabaram ficando raras, uma vez que o que importa são os números e não a qualidade das interações.

Para minha felicidade, nem tudo são espinhos. Também existem as rosas. Em oito meses de Pequeno Ser tive a oportunidade de conhecer pessoas incríveis com Blogs tão incríveis quanto. Aqui vão alguns:

Dentre outros. E, claro, o post que me inspirou a desabafar sobre o assunto, foi esse aqui, da fofa Beatriz Cabral do Setembro Literário, outro blog que indico bastante. 

*Escrevi de forma generalista sim, então cuidado quando for criticar. O objetivo ao generalizar foi transparecer o sentimento da forma mais crua, como gosto de fazer.


 Para me seguir nas redes sociais:


You Might Also Like

14 comentários

  1. Isa, compartilho de tudo o que você falou. Já tive outros blogs, da época que colocávamos até cursor personalizado. Infelizmente tudo mudou, e pra pior. As pessoas hoje só pensam no lucro, não pensam mais em compartilhar as coisas só por gostar.
    Eu fico muito feliz por ter conhecido você e as meninas através do nosso projeto, fora algumas outras pessoas que conheci por causa da blogosfera. Que possamos continuar trazendo ótimos conteúdos pra esse mundinho e que as coisas boas sejam consequência!

    Zona de Conspiração | Fanpage | Canal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ~Essa época do cursor foi a mesma em que havia chuvinha no blog! hahaha lembro bem!~ Fico feliz por termos nos conhecido também, Ju. E mais ainda por encontrar nesse meio blogs com conteúdo e carisma como o seu e tantos outros que citei! Que possamos, sim, continuar nesse caminho trazendo conteúdo, como você disse, e muitos sorrisos aos nossos leitores!

      Excluir
  2. Olha hoje em dia o que mais tem na internet é informação, mas isso não significa que as pessoas se aprofundem nos assuntos. Aliás, o que meus professores sempre dizem na faculdade é que somos a geração da informação rápida. Queremos saber de tudo, mas não conhecermos de verdade nada.
    Parece que tudo o que importa são números mesmo.
    Não vou ser hipócrita e dizer que não ligo para as visualizações do meu blog. Mas também não vou sair postando qualquer coisa só porque dá views, ou sei lá.
    Eu criei o blog primeiramente para testar minha escrita, expor um lado meu que eu normalmente escondo e também dividir minhas paixões.
    Mas o que mais tem por ai são blogs que já perderam seu objetivo, alguns blogueiros já nem sabem mais o que estão fazendo na internet, tudo por causa de uma busca lunática pela fama.


    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Rai. Vejo muitas pessoas em grupos de divulgação postando coisas como "gente, quero criar um Blog, mas não sei sobre o que escrever", dentre outros. É quando vemos claramente que hoje ser blogueiro é moda, é cool. Seus professores estão certos. Nós somos a geração da informação rápida sim, onde o novo, o atual do minuto é mais importante que o que possui qualidade e durabilidade. Visualizações, comentários, etc nos dão muita felicidade e força de vontade, mas nem só disso se faz um Blog. Precisa tempo, paciência, conteúdo, não é? Que possamos contribuir com a blogosfera nos dias de hoje de forma positiva e trazer muita felicidade e aconchego aos nossos leitores!

      Excluir
  3. Fico muuuuuuuuito feliz por encontrar alguém que pensa do mesmo jeito que eu e que tem a mesma visão que a minha dessa loucura toda de ser blogueira. Obrigada por me entender e entender, muitas outras blogueiras, ainda que sejam a minoria com este texto <3 Obrigada pela menção tbm haha, seu blog é beautiful e vc sabe disso, bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isaaaaaaa <3 É muito bom mesmo saber que não estamos sozinhas nessa luta, né? Sou muito grata pelo apoio que recebi do meu namorado e amigos a criar o Blog, porque foi através dele que fiz amizades como você e outros que citei e, pude conhecer pessoas de lugares diferentes com realidades diferentes da minha! Fico muito feliz por poder traduzir esse sentimento de todas nós! Um super beijo! :D:D

      Excluir
  4. Isabele,sou blogueira desde 2009 eu sei o que é isso.
    Alguns vem para ficar outros passam como um vendaval.
    Parabéns bela postagem,beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi graça! Grande verdade. Só aqueles que constroem suas próprias raízes se mantêm nesse universo, não é? Fico feliz que tenha gostado! <3

      Excluir
  5. Eu concordo em algumas partes com você, e descordo em outros.
    Na época que comecei a fazer blog eu tinha entre 15 e 17 anos na época, isso foi há mais de 10 anos atrás, o blog que eu tinha era do IG conhecido como BLIG. Era muito fácil, encontrar templates para trocar pela internet e coisas pra enfeitar o blog como plaquinhas, relógios, calendários, dolls e gifs. E era muito simples, conseguir colocar esses enfeites na barra lateral através do blog.
    E concordo que existem muitos blogs sem conteúdo, mas também existem muitos blogs bons. Mas também acha que definição de blog bom é varia de acordo do ponto de vista de cada um, dos assuntos que têm o blog que interessa aquela pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo, Vanessa. Mas foi exatamente como eu falei: meninas que sabiam, de fato, programar em html postavam tutoriais ensinando a acrescentar essas plaquinhas, relógios, etc. Não fosse isso, não seria tão simples assim, já que nem todas nós sabíamos programar. O que sabíamos era pegar o código e acrescentar ao layout segundo um tutorial. Concordo completamente com o fato de a definição de "bom" ser relativa. Tem toda razão. Existem sim blogs incríveis nos dias de hoje, como esses que citei acima, mas em comparação aos blogs sem conteúdo ou os 'copy cats', existem poucos. Mas aproveitemos que a blogosfera atual é tão extensa e, com um pouco mais de busca, nós encontramos blogs incríveis! Um enorme beijo!

      Excluir
  6. Hoje parece que ta tudo diferente do que era antes como vc disse :/ Ninguém ajuda ninguém mais e só quer se auto-favorecer.. triste isso, eu queria ter entrado na blogosfera nessa época :3 kks mas, obrigado pelo carinho, eu gosdimais docê cê sabe disso ne :3 <3 Dá um beijo no Martin e... dá um aperto de mão no Gabriel e já tá bão demais u.u kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Will <3 Você sabe o carinho que tenho por ti! hehehehe É muito feliz saber que existem pessoas atualmente que mantém blogs ótimos e são ótimas também! Nos dá força e esperança, né? Um beijão! =D

      Excluir
  7. Amei o seu blog, e a sua postagem. Faz pouco tempo que estou nesse meio em relação a blog, e fiz porque sempre gosto de está compartilhando coisas que gosto, já que pessoalmente não sou muito de demostrar tudo que coloco no meu blog, no inicio ele era mais visitado pelos meus amigos, quando recebi um "conselho" que eu precisava crescer como blogueira e blá blá blá...precisava colocar anúncios e outros meios de fazer ele crescer. Admito que cheguei a pensar em fazer isso, porém se eu fizesse o blog não teria a ideia que eu sempre quis que tivesse. Essa é a minha opinião, porém com outras pessoas fazer isso deu certo e elas estão satisfeitas. Então penso que isso vai de cada pessoa, gostei demais de ler a sua postagem ^^ Beijocas!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sara! Me desculpa a demora em responder *que vergonha*. Às vezes o blogger não mostra os comentários à menos que você fique olhando cada post individualmente..): Me desculpa, mesmo!

      Olha, você deve fazer o que gosta, sabe? Independente de dinheiro. É como eu sempre digo: não importa a sua profissão ou carreira. O que você escolher e fizer por amor, você vai se esforçar e receber o retorno igualmente! Por que querer ser rica? O que vai fazer com toda essa riqueza? Sabe, ter dinheiro pra viver, pagar as contas e comprar suas coisinhas é tão melhor. O caminho é mais importante que a chegada <3
      Um grande beijo! Foi um prazer receber sua visita e ler seu comentário! Seja sempre bem vinda por aqui, viu? <3

      Excluir