12 coisas que aprendi na gravidez

17:40



1. Desejos são controláveis

Sim, essa ideia de que a grávida precisa de tal coisa porque está desejando não existe. E não venham, mamães/gestantes de plantão dizer "ah, mas então você não desejou de verdade". Eu tive um desejo incontrolável por sardinha, comi e coloquei tudo pra fora logo em seguida. E, dos desejos incomuns, eu desejei água de sabão em pó. Sim, queridos leitores. hehehe Porém, não morri por não ter tomado a água. É só se controlar!

2. Sono por toda a vida

Posso afirmar com toda certeza que nunca, absolutamente nunca tive tanto sono na vida. A gravidez me deu um cansaço absurdo à ponto de eu dormir em qualquer canto que estivesse. Isso porque tenho dificuldade pra dormir, naturalmente. Mas, ainda assim, me pegava cochilando ao ver filme, ao trabalhar, até mesmo na cama com meu namorado. Complicado, hein. hehehe

3. TPM de nove meses

Toda mulher que sofre de tpm sabe bem do que estou falando. E a grande verdade é que a gestação pode até ser algo bonito, mas nove meses de emocional abalado não é pra qualquer um. Tudo é motivo pra choro, assim como tudo pode ser, também, motivo pra briga. Meu relacionamento chegou a um "vai ou racha". Ou aprendíamos juntos a lidar com isso, ou acabávamos por ali mesmo. E lidar com todas essas mudanças parte da mulher e do parceiro. Haja paciência da parte do meu namorado pra me aguentar 24 horas chorando pelo vento. Foi muito difícil pra ambos.


4. Não sou mais quem eu fui

Mais uma beleza da maternidade ainda dentro da barriga é que são mudanças não somente físicas, mas psicológicas. Afirmo que não sou mais quem era antes de Martin. Embora não tenha perdido algumas convicções, aprendi a conviver com certas coisas, a pensar no outro e em mim; aprendi que nem sempre o que vemos é o que é, de fato. E que, às vezes, fazemos coisas sem pensar por desespero. Foi o momento mais difícil da minha vida e, também, o que mais me ensinou e me transformou.

5. Que cheiro é esse?

Dos primeiros sintomas da gravidez, esse é um dos mais complicados e engraçados. Antes de eu descobrir que estava, de fato, grávida. Antes mesmo de sequer cogitar, comecei a sentir cheiros diferentes que nunca havia notado. Isso porque o olfato da gente aguça muito. E, exatamente por isso, acabamos enjoando diversas comidas e cheiros, propriamente. Eu, por exemplo, enjoei de frango assado, cuscuz com salsicha e, o perfume do meu namorado (que eu mesma havia escolhido. hahaha).


6. Não aguento mais fazer xixi!

Quanto desespero ao ir ao banheiro. Gente, se vocês já tiveram infecção urinária, sabem como funciona: 5 em 5 minutos indo no banheiro pra sair três pingos. Era completamente irritante estar com a sensação de bexiga cheia, ir e não ter nada. Essa foi uma das coisas que mais me deram nos nervos! Então, fica o apelo para não grávidos. Se você estiver numa fila e houver uma grávida depois de você, dê a vez. Dói, e dói muito prender xixi na gravidez. Além disso, infecção urinária já é ruim, quem dirá com um bebê dentro de você!


7. "Ah, sete meses vai estar de barrigão"

Não, meus queridos, isso vai de genética à genética e, ainda tem o fator cuidado. Sim, cuidado com alimentação, com o corpo, exercícios, etc. Eu sempre fui bem ativa e, mesmo grávida e cansada busquei não parar: andava à pé sempre que dava (até mesmo pra ajudar na circulação!), não parei de ter relações com meu namorado,  dançava quando ficava com vontade, etc. Grávida não é doente pra ficar de repouso, pelo contrário. Quanto mais ativa estiver, melhor pra você e pro bebê. Assim, acabei engordando só 5 kg e minha barriga só cresceu aos oito meses, de fato.

8. Frágil como boneca de louça

Mais uma coisa pra lista de pontos negativos. Eu, particularmente eu, odiei ficar tão frágil. Como já disse, sempre fui ativa. Eu sou pilhada por natureza e, como já mencionei em alguns posts aqui, sou um machinho. Desde criança tenho bastante força física e uma teimosia trágica, então sempre fui bem resolvida, "não precisava de ninguém", independente. E então, me vi precisando de ajuda pra acordar, pra comer, pra vomitar, pra ter coragem de levantar da cama e toda uma gama de coisas que vou precisar de novo só quando for idosa! Odiei isso. hehehe

9. Santa paciência do parceiro

Esse tópico pode causar um reboliço de grávidas me xingando nos comentários. Mas, queiram ou não admitir pra si e pros outros, nossos parceiros precisam de muita paciência e saco pra nos aguentar. Se você foi uma "buchuda" tranquila, bom pra ele. Mas como citei acima, comigo foi um "vai ou racha". Eu me tornei insuportável. Brigava por tudo, chorava por tudo. O coitado não podia fazer nada que eu me sentia super mal. E, não, nós grávidas não temos culpa disso. É algo que não compreendemos. Eu, que sou uma pessoa altamente crítica (mesmo comigo!) e reflexiva, ficava sem saber o que fazer, uma vez que tinha um vozinha na minha mente dizendo coisas horríveis, enquanto minha consciência tentava ficar clara.


10. Totalmente conectada ao pequeno

Como disse, sou bastante reflexiva. Isso me fez ter uma experiência única ao poder notar cada fase em que passei. Eu nunca quis ter filhos, sempre fui muito ligada ao profissional e só isso. E, claro, isso não era diferente com o bebê. Era completamente esquisito ter um ser dentro do meu organismo, até porque, quer queira ou não, não era meu desejo. Então, eu pude apreciar o exato momento em que minha mente e meu corpo foram se acostumando ao bebê e aceitando ele como parte de mim e da minha existência, trazendo um universo de ideias, possibilidades, experiência e amor.

11. Parar de fazer sexo? Jamais!

Homens queridos que têm uma companheira grávida em casa: deixem de frescura e continuem sua vida sexual com elas. O mesmo vale para as futuras mamães que estão com medo ou sentindo-se feias (esse sentimento existe sim, é triste). Não, não machuca o bebê e ele não vai sentir nada. E digo mais: sexo na gravidez ajuda a mulher a conseguir ter parto normal, fortalecendo os músculos pélvicos. Olha que lindo, né? Claro, tem mulheres em que a libido diminui e aí não há o que se faça além de distribuir amor, carinho e compreensão à elas (elas não tem culpa!!!). E, há outras por outro lado, em que a libido aumenta. Com essas só sucesso e cuidado.

12. Não aguento mais seu cheiro!

Fica aqui um alerta para as gestantes e os maridos: há a possibilidade de a mulher enjoar do seu cheiro e, caro maridinho, até de você. Não, não é desculpa. Pela sensibilidade olfativa que citei antes a mulher acaba enjoando de cheiros que antes lhe agradavam. E nessa lista de cheiros enjoativos também cabe seu perfume, seu suor, etc. Isso aconteceu comigo e ainda não consigo suportar o perfume do meu namorado, mas seu suor já está com o cheiro normal. Ou seja, a boa notícia é que isso tudo passa com o tempo!

Fonte das imagens: Google Imagens

Bom pessoas, espero que tenham curtido o post! Não esqueçam de deixar aquele comentário aí em baixo. Lerei e responderei todos com o maior carinho! Um beijo!

 Para me seguir nas redes sociais:



You Might Also Like

4 comentários

  1. Eu li tudinho e só consigo pensar: que amor! Meu primo acabou de nascer e minha tia passou por tudo isso, o legal é que algumas coisas nos podíamos acompanhar e gravidez pra mim, é uma coisa muito linda! Aliás, qual o nome do seu bebê? Seu blog é incrível, tem um conteúdo genial! Seguindo para sempre! Hahahaha <3

    Beijos, Li.
    eililian.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 Que amor!² Como ela e ele estão? Espero que tenha sido um parto e esteja sendo um resguardo ótimo!
      Meu pequenino se chama Martin e vai fazer três meses hehehe Fico super feliz que tenha gostado do post e do Blog.
      Seja sempre super bem vinda por aqui viu? <3 Sinta-se em casa! =D
      Um super beijo, Li!

      Excluir
  2. gostei muito da sua sinceridade ao abordar a gravidez. Vejo muita gente romanceando a coisa toda ou fazendo tudo parecer um inferno e vc foi honesta e clara. Adorei esse post! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Letícia! Que legal você ter gostado, sério. Gosto das coisas claras e cruas. Como mãe de primeira viagem procurei muito sobre um tudo relacionado à gestação, ao parto, ao pós, etc. E puxa vida, a internet tá repleta de conteúdo romantizado, com textos que abordam somente o belo e esquecem que o mais importante, o que mais causa ansiedade e aflição (além de problemas nos relacionamentos) nas mães e pais é exatamente o outro lado da moeda. Fico realmente muito feliz de receber comentários positivos, porque alguns assuntos são difíceis de falar hehehe
      Um super beijo!

      Excluir